Post Top Ad

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Roteiro de 3 dias em Paris!

Pois é minha gente, tanta perna batida pela capital francesa, tanta hora passada a percorrer os seus boulevards e 30 mil posts depois sobre alguns locais mais específicos na cidade ainda não tinha saído um roteiro clássico, para quem vai pela primeira vez e está mais ou menos desesperado sem saber por onde começar.
Provavelmente porque desde que criei o blogue nunca mais fui a Paris como a turista clássica, conheço a cidade há que anos e todas as últimas viagens são um pouco sem programa fixo, com apenas um ou outro objectivo mais específico, como visitar uma exposição temporária ou assistir a um espectáculo e depois passear livremente por onde a vontade me levar.
Mas como antes de chegar a esta fase têm primeiro de conhecer bem a cidade, aqui fica a minha sugestão de roteiro com todos os pontos turísticos principais da cidade.
Espero que seja útil para turistas de primeira viagem :)

Dia 1: Começar logo cedo por um dos pontos mais "famosos" (por aqui são quase todos!), o Arco do Triunfo e descer nas calmas os Campos Elísios, a primeira metade é bastante mais comercial, a segunda é muito mais verde, mas vão encontrar à vossa direita o Grand Palais e o Petit Palais, dependendo das exposições temporárias que estejam por lá pode ser um boca ideia entrar. De qualquer das formas, passem entre os dois, até ao Sena, e aproveitem a ponte Alexandre III para tirar a primeira fotografia da Torre Eiffel, bem lá no fundo. De volta aos Campos Elísios, desçam até à Concordia - aí podem perder um bocadinho num dos meus museus preferidos e pequeninos das cidade, a Orangerie, e ver os seus Monet na colecção permanente - e depois tomem a direcção contrária ao rio, para se embrenharem no centro da cidade. Sugiro não perder a Place Vêndome, a Madeleine, a Ópera Garnier (que a propósito vale a entrada) e as galerias La Fayette (não pelas compras mas pelo interior arquitectónico, entenda-se.), de resto esta é a zona de alguns dos Boulevards mais famosos, percam-se a passear por aí.
Quando o dia se estiver a aproximar do fim apanhem o metro até Montmartre, a pracinha por trás da Sacré-Couer com os seus pintores vale uma visita e o pôr-do-sol da escadaria frontal já vai justificar a viagem, desçam depois até à zona do Pigalle e caminhem até ao Molin Rouge, com o dia no fim os néons vão sair ainda melhor nas fotografias.


Dia 2: La Rîve Gauche - a margem esquerda do Sena, claro está. Aquela que já foi a zona mais boémia da cidade, dos artistas, dos jovens e dos revolucionários, nunca perde a sua graça. O roteiro começa no Jardin du Luxembourg e passa pelo Pantheon e pela Sorbonne antes de descer o Boulevard de Saint-Michel até à Île-de-la-Cité. Aqui vão poder visitar outro cartão-postal da cidade, a Catedral de Notre-Dame (a subida vale a pena pelas vistas da cidade e das gárgulas, alô Corcunda!) e a Saint-Chapelle, uma igreja pequena e escondida com os vitrais mais incríveis de sempre. Continuando a caminhar para oeste (seja junto ao rio para ver os bouquiniste ou mais por dentro no Boulevard de Saint-Germain para tomarem um café no famoso Les Deux Magots) vão acabar junto ao Musée d'Orsay, a antiga estação de comboios reconvertida num dos museus mais fixes da cidade (recomendo a entrada!). O passeio continua na mesmo sentido passando pelos Invalides (onde está o túmulo do Napoleão) e terminando nos Champs des Mars, Mesmo por baixo da Torre Eiffel. Se a fila não estiver quilométrica podem arriscar a subida, como eu fiz aqui, e não me arrependi, ou subir até ao Trocadéro e ter o melhor ângulo para fotografias da dita cuja.

Dia 3: Voltamos à margem direita e à zona mais leste do centro da cidade, meio esquecida até à pouco tempo atrás começamos na praça da Bastilha a caminhada em direcção ao redescoberto bairro do Marais, para onde se mudou o cool e o alternativo da cidade nos últimos anos e onde a Place de Vosges parece uma pérola bem escondida, já que está mesmo "murada" com edificado a toda a volta.
Podem passear livremente pelas redondezas, caminhando em direcção a oeste até ao Hôtel de Ville e ao controverso Centro George Pompidou, eu pessoalmente gosto da irreverência - há quem odeie -, vale a pena entrar nem que seja na loja do rés-do-chão, mas também costuma ter várias exposições temporárias. De seguida a ideia é continuar o passeio pela zona de Châtelet Les Halles até ao Palais Royal (onde vão conseguir umas fotografias bem giras, quer nos seus jardins interiores - não se paga para entrar - quer da decoração da entrada de metro, mesmo naquela pracinha onde a Angelina Jolie queima o bilhete d'O Turista) até voltar novamente para junto do rio, através dos Jardins das Tulherias e chegar ao Louvre. Aqui podem apenas relaxar e tirar a fotografia clássica junto à pirâmide ou enfrentar as milhares de salas da Galeria só para conhecer a Mona Lisa. Tenho de confessar que não é dos meus museus favoritos, é tão grande que só de pensar já cansa, passei lá um dia inteiro de pequena e acho que o vi para a vida. Depende muito do propósito mais ou menos cultural da visita.


Se gostaram deste post e estão de partida para Paris, consultem também os seguintes links, com informação útil adicional:

- Passeios bate-volta nos arredores de Paris

- Restaurante BBB em Paris
19:09 / by / 7 Comments

7 comentários:

Agnes disse...

Guardado para a minha viagem em Março ;)

Sara disse...

Muito bem feito o teu roteiro :)
Teria sido bom te-lo quando fui a Paris. Ainda assim acho que não perdi muitas coisas.

IM (misspipetaseviagens) disse...

Agnes, quanto tempo vais? Amanhã saí um roteiro para os "arredores" de Paris, ahahah
Sara, obrigada! :)

Agnes disse...

Possivelmente 4 dias mas ainda não sei quantos vão ser trabalho...

IM (misspipetaseviagens) disse...

Mas se já conheces Paris, dá sempre para encurtar o roteiro e/ou saltar algumas partes para incluir também alguns planos alternativos, não? Gostas de bife com batatas fritas?

Agnes disse...

Sim, vou aproveitar para ver planos mais alternativos mas há sítios "turísticos" onde provavelmente quero voltar com uma máquina mais decente do que tinha quando lá fui ;)
Claro que sim, isso pergunta-se? Mega fã de bife com batatas fritas! :D

IM (misspipetaseviagens) disse...

Como plano B numa das últimas vezes visitei o Institute du Monde Arabe, o edifício é incrível, vale a pena lá ir... Quanto ao bife com batatas fritas a ver se sai então post sobre o melhor da cidade! Até faz fila, mas é TOP!

Post Top Ad